Área Restrita

Home Office: desafios e benefícios do formato de trabalho do futuro

O trabalho à distância já é uma realidade para muitas empresas e profissionais, e é um formato que veio para ficar. Também conhecido como home office, trabalho virtual, telework e trabalho remoto, essa modalidade foi incorporada pela legislação brasileira com o nome de “teletrabalho”, na Reforma Trabalhista, de 2017.

Para o presidente da Sociedade Brasileira de Teletrabalho e Teleatividades (Sobratt), Cléo Carneiro, o teletrabalho estimula a sustentabilidade, uma vez que reduz o número de carros no trânsito, a emissão de gases poluentes, o acúmulo de papeis e outros materiais de escritório.

“Horas gastas com deslocamento para o local de trabalho são horas improdutivas. O que é mais importante? Se deslocar [até a empresa] ou fazer as coisas?”, questiona.

Segundo ele, é importante ressaltar que teletrabalho não é um benefício concedido pela empresa, e sim uma estratégia de ação, pois as tarefas continuarão a ser feitas da mesma forma e entregue no mesmo prazo que no ambiente empresarial, e apenas serão realizadas em um ambiente diferente.

Embora não seja um formato novo, ele destaca que muitas empresas ainda resistem a essa modalidade e existem alguns desafios a serem superados como: o foco em resultados e não em controle da jornada com a presença física; monitoramento da produtividade, questões legais e ambiente externo adequado.

Para Cléo Carneiro, o avanço do teletrabalho é inquestionável, mas para testar este formato, algumas empresas no Brasil vêm adotando a prática de forma parcial, permitindo que os funcionários trabalhem remotamente alguns dias na semana, e assim consigam monitorar os resultados do teletrabalho.

Por parte dos profissionais, a tendência é a crescente busca pelo home office, respaldados pelo surgimento cada vez mais rápido de novidades tecnológicas e pela tão almejada qualidade de vida.

 

 

*Por Tatiana Félix, analista de comunicação e marketing da VT Service.